Aos gritos de “nenhum direito a menos”, ativistas cobram melhorias na política sobre a Aids no Brasil

0
798
Visualizações

Cerca de 100 representantes do movimento social de luta contra a aids de vários municípios de São Paulo e da região Sudeste ocuparam a calçada da Prefeitura de São Paulo, no viaduto do Chá (região central), em um ato de defesa da política de aids no Brasil. Com gritos de “fora, Temer”, “nenhum direitos a menos” e “o SUS pira, mas não morre”, os ativistas denunciaram a falta de kits para exame de carga viral – teste que calcula a quantidade de vírus HIV no sangue e o baixo estoque de remédios que compõem o tratamento contra a aids no país. “Estamos lutando para evitar o retrocesso, corremos o risco de não termos mais a garantia do acesso ao tratamento”.

A Aids ainda é um problema de saúde pública, estamos aqui porque não admitimos o desmonte do SUS. O acesso a saúde é um direito de todos e um dever do Estado, por isso, vamos cobrar dos governos federal, estadual e municipal que enfrentem com eficiência a aids e promovam melhor assistência e melhor prevenção.